DOENÇAS DO CORAÇÃO

 

Angina do peito... infarto... ataque cardíaco...

Como saber que estou correndo risco? Como me proteger?

Todos nós, independente do sexo, idade, raça, podemos sofrer um ataque cardíaco repentinamente.

Hoje, com a evolução da medicina, é possível identificar as pessoas com maior risco de doenças cardiovasculares. Certas características individuais estão fortemente relacionadas com a maior incidência de problemas circulatórios e cardíacos: são os chamados fatores de riscos.

Sexo 

O Risco de os homens sofrerem infarto é duas ou três vezes maior do que o de mulheres antes da menopausa. Após a menopausa, o risco de as mulheres sofrerem um infarto é igual ao dos homens.

Idade  

Problemas circulatórios e cardíacos são mais freqüentes em homens acima de 35 anos e em mulheres acima de 45 anos.

Raça  

Estatísticas indicam que indivíduos da raça negra têm maior incidência de problemas circulatórios. Um dos motivos pode ser o fato de que a hipertensão arterial (pressão alta) é mais freqüente nessas pessoas.

História familiar de doenças circulatórias ou morte súbita    

Pessoas com pais e/ou irmãos que morreram de doenças circulatórias antes dos 55 anos têm maior risco de ter a mesma doença.

Sedentarismo    

Pessoas com pouca atividade física regular têm maior tendência a terem problemas circulatórios e cardíacos. A atividade física regular melhora a circulação e ajuda no controle do colesterol.

Obesidade    

Ser gordo, definitivamente, não é bom negócio. Pressão alta, colesterol elevado e maior risco de outros problemas circulatórios e cardíacos, são mais freqüentes em pessoas gordas.

Hipertensão arterial (pressão alta)

A pressão alta sem tratamento sobrecarrega o trabalho do coração e provoca o surgimento precoce de problemas circulatórios e cardíacos.

Diabetes mellitus   

O diabetes também aumenta o risco de doenças circulatórias e cardíacas.

Dislipidemias (aumeto do colesterol e triglicérides)

As dislipidemias aumentam o risco de infarto cardíaco e angina, além de outras doenças circulatórias, como a ateroesclerose.

Uso de anticoncepcionais orais  

O uso de anticoncepcionais pode contribuir para o aparecimento de problemas circulatórios.

Mulheres acima de 35 anos não devem fazer uso de pílulas anticoncepcionais sem acompanhamento médico.

Tabagismo  

O fumante têm de três a cinco vezes mais risco de desenvolver um problema circulatório ou cardíaco que o não fumante, além do risco de aumentar o câncer nos lábios, garganta, pulmões e bexiga, entre outros. O tabagismo é o principal fator de risco para o infarto do miocárdio.

RECOMENDAÇÕES 

Após os 35 anos deve-se realizar os seguintes exames uma vez ao ano:

· Medir a pressão arterial;

· Fazer exame de sangue de glicemia (açúcar no sangue) em jejum;

· Fazer exame de sangue para medir colesterol e trilicérides (gordura no sangue).

Qualquer alteração nesses exames, procure seu médico.

Manifestações de ataque cardíaco (infarto)

· Dor forte ou sensação de opressão no lado esquerdo do peito que pode irradiar para o braço esquerdo ou pescoço, sem melhora com repouso;

· Suor frio intenso;

· Sensação de morte iminente.

Estas são as manifestações mais freqüentes do infarto cardíaco. Se alguma pessoa estiver com estes sintomas leve-a imediatamente para um serviço médico de urgência. A vida dela pode depender disso.

 

 

 

Home
Sindicato às Ordens
Histórico
Base Territorial
Diretoria
Convênios
Convenções Coletivas
Piso Varejista
Info O Comerciário
Galeria de Fotos
Mural
Dia do Comerciário
Feriados Nacionais
Ginásio Poliesportivo
Barraca de Praia
Salão de Beleza
Videoteca
Kit Bebê
Fale Conosco
Associe-se Já
Homologacões